Percebi que muitas pessoas querem saber sobre como temperar carne de porco. Então, aqui vão duas dicas que ficam maravilhosas e são receitas do meu amigo Daniel Gontijo, que é fera no preparo de carnes suínas e que também fabrica a espetacular cerveja medieval Smedgard (http://www.smedgard.com/). Foi com essa bebida de primeira qualidade que servimos as carnes.

E foram 3 peças! Duas pancetas (ou bacon) recheadas e um pernilzinho de porco assados lentamente em forno médio. Transcrevo, a seguir, as receitas do Daniel e sua inspiração:

“Para preparar os recheios me inspirei em receitas da Idade Média, do norte da Europa…
 
1ª RECEITA 

Barriguinha/bacon de porco 1 (defumada e com bastante carne): Porção generosa de carne, envolta com dill (endro) e pimenta do reino. Recheada com mais dill e mel. Não tem medidas, é intuitivo.

2ª RECEITA 

Barriguinha/bacon de porco 2 (defumada e com bastante carne): Porção generosa de carne, temperada com noz moscada e pimenta do reino a gosto. Foi recheada com folhas de alecrim fresco e juniper*. Não tem medidas, é intuitivo.

As barriguinhas defumadas, assim como qualquer outra carne de porco defumada, harmonizam bem com as cervejas estilo Rauch Bier.

Rauch, em alemão (lê-se Rráu:rh), significa ‘defumado’. São as cervejas que tiveram o malte de cevada seco ou defumado em fornos a lenha na alemanha.

3ª RECEITA

¼ de pernil inteiro (cerca de 1.6 Kg de carne): Envolto em tomilho fresco, alho e sal a gosto. Foi temperado com molho de suco de 1 limão, alecrim, pimenta do reino e folhas de louro. Não tem medidas, é intuitivo e ficou 1 dia no tempero para pegar bem o sabor das ervas.
 
O pernil vai pra assadera e é levado ao forno médio (cerca de 200ºC) por aproximadamente 3 horas. As peças de barriga são colocadas em um suporte dentro de outra assadeira para secar a gordura, ficar crocante e sequinha.”

Ficou tudo divino, como vocês podem ver pelas fotos. O pernil estava desmanchando!

Agora a explicação sobre o que é juniper:

* Em português, juniper é zimbro. São frutinhas de plantas coníferas do gênero Juniperus, da família do cipreste Cupressaceae. Dependendo do ponto de vista taxonômico, há entre 50-67 espécies de zimbro, amplamente distribuídas em todo o Hemisfério Norte, a partir do Ártico, ao sul tropical da África, no Velho Mundo, e para as montanhas da América Central. (Fonte: Wikipedia)

Se você não achar juiper para comprar (e é realmente muito difícil, eu mesma nunca vi vendendo por aqui no Brasil), não se desespere. Ele dá um sabor muito peculiar, mas não é essencial.


Compartilhe
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
  • StumbleUpon
  • Twitter
  • Add to favorites
  • Digg